Busca

Portal GODDAMNIT

Por que ser normal se você pode ser GODDAMNIT?

Review: Beyond The Space NerdLoot #4

Bom, para quem não sabe, NerdLoot é uma caixinha que você compra por R$69,90 + frete e você recebe de 5 a 7 produtos do tema da caixa de acordo com cada mês.

A caixinha do mês de dezembro foi com a temática de espaço e eu não poderia ficar mais contente com ela. Foi a primeira vez que eu comprei e eu com certeza comprarei mais vezes.

A caixa vem super arrumadinha com cards explicando tudo o que vem na caixa e tudo embrulhadinho num papel que também tem o desenho do tema.

Os itens dessa caixa foram:

  • Uma blusa do Kylo Ren com o Darth Vader que eu estou completamente apaixonada, provavelmente foi uma das minhas coisas favoritas.

12494621_1126555774035610_1445830805_o

  • Uma blusa do ‘Alien vs. Predador’

12494523_1126555744035613_1117412573_o

  • Um poster de Star Wars zombie

12483065_1126610677363453_1437643527_o

  • Imãs de geladeira

12499106_1126555884035599_1775745852_o

  • O Livro dos Sith que eu já tinha, mas não que isso fosse um problema

12499206_1126610654030122_704380763_o

  • Um broche do Spock

12490140_1126555677368953_409056823_o

  • Uma pelúcia do DARK2 662

12494267_1126610700696784_1755260134_o

  • e também veio um poster com todas as informações dobre sabre de luz.

Eu amei literalmente tudo que veio dentro da caixa e eu no tenho nada a reclamar, porque não esperava por tudo isso. Um único comentário que eu gostaria de fazer e também é uma dica para quem nunca comprou blusas na Nerd Universe: os modelos são meio pequenos, pelo menos os femininos, então eu recomendo que você compre um número maior, porque eu já tive vários problemas de comprar blusas lá e vierem muito pequena e acabar tendo que dar ou para a minha irmã ou para a minha amiga.

A próxima caixa é sobre sagas e com certeza eu vou comprar e fazer mais review para vocês.

1 pergunta: vocês gostariam que eu fizesse um unboxing da próxima caixa?

Anúncios

Resenha: A última casa da Rua

Autor: Lily BlakeA_LTIMA_CASA_DA_RUA_1343749231B.jpg

Editora: iD

Páginas: 184

Ano: 2012

ISBN: 9788516072902

Esse livro foi baseado no filme “a última casa da rua”, um filme de terror estrelado por Jennifer Lawrence e eu esperava que o livro fosse estranho por ser um livro do filme mas na verdade acabou sendo um livro muito bom.

O livro tem uma narrativa bem simples, nada de tão espetacular mas a cada página que passa dá para perceber que o Ryan cada vez está mais psicótico, coisa que você não consegue enxergar tanto no filme.

É um livro fininho que qualquer um consegue ler em apenas algumas horas, mas ainda assim é uma leitura válida, mesmo para aqueles que não gostam de terror por não ser uma leitura muito pesada.

Resenha: Nosferatu

Autor: Joe HillNOSFERATU_1403636845B

Editora: Arqueiro

Páginas: 624

Ano de Lançamento: 2014

ISBN: 9788580412970

Eu amo vampiros e qualquer coisa relacionada com vampiros, e claro que esse livro não seria nada mais nada menos do que o meu novo favorito.

Todo mundo provavelmente conhece Joe Hill e como ele seguiu os passos do pai escrevendo maravilhosos livros de terror. Esse livro em particular me chamou muito a atenção por causa do nome e quem me conhece sabe que eu normalmente compro livros ou pela capa ou pelo nome e nunca por indicação.

O livro conta a estória de um Nosferatu moderno e como ele consegue sangue nos dias de hoje. A estória foca mais em Vic, ou pirralha, como vocês preferirem. Ele narra todas as vezes que Vic encontrou Max e como a sua vida seguiu tentando fugir dele, como ela cresceu evitando com que ele a encontrasse.

É um livro relativamente longo, a única coisa que deixou a desejar eu diria que foi na narrativa do livro, ele acaba sendo um livro muito pesado e as vezes se torna muito cansativo, o que me fez passar semanas nele (provavelmente o livro que eu demorei mais para ler nesse ano de 2015) mas ainda assim é uma leitura válida com uma aventura incrivel.

Resenha: Férias Infernais

Autor: Maureen Johnson, Cassandra Clare, Libba Bray, Claudia Gray, Sarah Mlynowski978-85-01-09082-9

Editora: Galera Record

Páginas: 272

Ano: 2015

ISBN: 9788501090829

Férias infernais é mais um livro de contos onde vários autores escrevem sobre um tema. O livro é formado por 5 estórias completamente independentes e diferentes umas das outras.

Cada autora escreveu a sua estória baseada no que elas gostam de escrever, eu sou suspeita para falar que as minhas preferidas são as estórias da Cassandra Clare, Maureen Johnson porque são as minhas autoras favoritas favoritas.

É um livro divertido, agradável e super rápido de ler para quem está procurando uma leitura rápida ou até mesmo para quem está com ressaca literária.

Resenha: Inquebrável (A Legião #1)

inquebravelAutor: Kami Garcia

Editora: Galera Record

Páginas: 288

Ano: 2014

ISBN: 9788501403131

Inquebrável é o primeiro livro da série “A Legião”, escrita pela co-escritora de Dezesseis Luas, Kami Garcia.

Kennedy Water não acreditava em fantasmas, até o dia em que encontrou a sua mãe morta em casa. Kennedy começou a descobrir um mundo novo que ela desconhecia quando os irmãos gêmeos Lukas e Jared Lockhart invadem seu quarto para destruir um perigoso espirito que foi mandado para matá-la.

Os irmãos Lockhart explicam para Kennedy que sua mãe fazia parte de uma antiga sociedade que é responsável por proteger o mundo de um vingativo demônio, uma sociedade onde os 5 membros foram assassinados na mesma noite.

Agora Kennedy tem que tomar o lugar de sua mãe na Legião se ela quiser sobreviver. Junto com os novos membros da Legião, eles viajarão os Estados Unidos lutando para encontrar a única arma capaz de destruir o demônio.

Eu não acho que esse livro recebe o reconhecimento que ele realmente deveria. Esse foi um dos livros que eu não consegui parar de ler enquanto eu não tinha terminado e ficar sofrendo pelo próximo. Os personagens são apaixonantes assim como o enredo do livro.

Observações Gerais:

  • A previsão para o lançamento do segundo livro é para 2016

Resenha: Reiniciados (Reiniciados #1)

Autor: Teri Terryreiniciados_1362663881b

Editora: Farol Literário

Ano: 2013

Páginas: 432

ISBN: 9788562525728

Reiniciados acontece em 2054, em Londres após um colapso econômico em 2020. O governo resolveu que iria reabilitar jovens criminosos que contribuíram para  o colapso econômico, mas para isso, eles utilizariam a nova descoberta, apagariam todas as lembranças dos jovens para poderem serem inseridos de novo na sociedade.

Kyla é uma adolescente de 16 anos que foi reiniciada, como todo o reiniciado, Kyla tem que viver com um nevo no pulso, o nevo é conectado no cérebro do reiniciado por um chip que controla o humor do reiniciado. Depois de ser reiniciado, os adolescentes ficam no hospital por 6 meses para serem re-educados antes de serem encaminhados para a nova família.

Sandra Armstrong-Davis é a nova mãe de Kyla, Sandra é filha de um dos responsaveis por eliminar as gangues que ameaçavam a Inglaterra em 2020, seus pais foram mortos em um dos ataques terroristas. Seu novo pai, David, aparenta ser um bom homem, mas Kyla já desconfia dele. E Kyla também tem uma irmã reiniciada, Amy.

Kyla frequenta mesma escola que sua irmã, Amy, que acabou atrasando um ano de seus estudos por causa que foi reiniciada. Kyla faz um teste para saber em qual turma que ela entra, um teste nada fora do normal. Durante o tempo que Kyla passou na escola, ela percebeu que existia alguns “watchers” (não sei o nome em portugues, me desculpem) que serviam para acompanhar os reiniciados para saber se estava tudo certo.

Kyla não faz ideia porque foi reiniciada. Mesmo as pessoas falando que suas memórias e sua personalidade foram apagadas, ela sabe que é diferente do resto. Ela tem tido pesadelos, dos quais levaram ela a ficar internada por 3 meses a mais do que o normal depois de ser reiniciada. Kyla acha que esses pesadelos podem ser informações da sua vida antes de ser reiniciada, mas ela não tem certeza.

Kyla percebe que ela consegue desenhar com a mão esquerda (quando reiniciaram ela, reiniciaram como destra), que ela sabe como dirigir e que quando ela fica brava, seu nevo não funciona. Kyla então resolve descobrir quem era ela, quem era a sua família e porquê ela foi reiniciada.

Com o decorrer do livro Kyla conhece Ben, um dos garotos reiniciados do seu grupo de apoio e eles acabam se aproximando, mesmo Kyla achando que Ben namora Tori, outra garota reiniciada, e mesmo depois de todos os avisos no hospital que eles não podem namorar antes dos 21.

Ben e Kyla viram colegas de corrida, e descobrem que a corrida ajuda a camuflar o humor para o Nevo. No dia que Tori desaparece, Ben vai a procura de Kyla para que ela o ajude a encontrá-la.

Depois de um tempo, Amy leva Kyla para conhecer Mac, um garoto que pode provavelmente achar quem ela era no passado. Mac possui um computador com todos os anúncios de crianças desaparecidas, e tenta ajudar Kyla a saber sobre a sua vida passada.

Kyla resolve contar isso para Ben, e acaba levando ele para conhecer Mac também. Após a visita, Ben começa a ter uma ideia louca de tentar se livrar do seu nevo, como ele descobrira que muitas pessoas conseguiram e com sucesso.

Acho que todos nós já sabemos como isso termina né? Os nevos são conectados por um chip no cérebro, quando cortados fora eles emitem ondas para seu cérebro para evitar que qualquer dano maior aconteça com a pessoa.

A trama no livro continua com Kyla tentando descobrir o que acontece com ela, o que aconteceu com o Ben e procurando uma saída para solucionar todo o esquema de reiniciar adolescentes. Eu até escreveria mais, mas as chances de eu soltar um spoiler são bem grandes e eu não gostaria de estragar a distopia inteira por causa de uns spoilers.

Eu não esperava muito desse livro, só comprei porque eu tinha gostado da capa e eu faço isso muito, comprar livros pela capa, mas não me arrependi de ter comprado esse. Essa é provavelmente uma das minhas 5 distopias favoritas, eu amo cada detalhe desse livro.

Angelfall (Perryn and The End of Days #1)

Autor: Susan Eeangelfall_1324213129b

Editora: Feral Dream

Páginas: 256

Ano: 2012

ISBN: 9780983597018

Infelizmente esse livro ainda não foi traduzido mas parece que vai ser, então vamos esperar pelo melhor.

E mais uma vez, outra distopia mas dessa vez uma sobre algo que eu normalmente não suporto ler livros sobre o assunto, anjos. Após o apocalipse que destruiu o mundo moderno, anjos e demônios começaram a viver na Terra junto com os humanos, tornando-se um lugar perigoso para os humanos.

Quando a irmã mais nova de Penryn é levada por anjos guerreiros, Penryn irá fazer de tudo para conseguir trazer sua irmã a salvo de volta , até mesmo fazer um acordo com Raffe, um anjo do mal machucado.

O livro conta os desafios que Penryn e Raffe enfrentam percorrendo o Norte da Califórnia para conseguir resgatar a irmã de Penryn e também fazer com que Raffe fique inteiro de novo.

Eu não esperava muito desse livro, para falar a verdade eu nem queria lê-lo porque se tratava de anjos e eu tive péssimas experiencias com livros sobre anjos, mas esse realmente me surpreendeu e espero que eles traduzam porque todos vão poder ler.

Se você não se importa de ler pelo kindle/lev/ipad e em inglÊs, acho que vocês deveriam ler.

Resenha: Estilhça-me (Shatter Me #1)

Autor: Tahereh Mafiestilhac3a7ame-taherehmafi

Editora: Novo Conceito

Páginas: 304

Ano: 2012

ISBN: 9788563219909

O livro é narrado por Juliette Ferrars, uma adolescente de 17 anos que tem um toque letal. O livro começa com no asilo que Juliette ficou internada durante a maior parte da sua adolescência por ter matado um garoto. Juliette começou a enlouquecer por conta da falta do contato humano e por medo de não controlar seu toque, ela começou a escrever em um pequeno caderno descrevendo seus sentimentos e como é não ter ninguém para conversar.

Quando ela menos espera, ela ganha um colega de cela chamado Adam Kent. Adam tem quase certeza que ele conhece Juliette de algum lugar mas ela insiste que eles não se conhecem. Juliette mostra a Adam como andar dentro do asilo, como não comer a comida imediatamente e o horário que eles liberam para tomar banho uma vez ao dia. Juliette e Adam acabam se aproximando nos dias seguintes que eles ficaram presos na cela.

Um dia, o Restabelecimento vem buscar Juliette e é quando ela descobre que Adam trabalha para eles e sua missão era resgatar Juliette, quando Warner chega para buscá-la, ele propõe um acordo para Juliette que ele tiraria ela do asilo desde que ela tocasse em um dos seus soldados.

Conforme a narrativa continua, conseguimos descobrir que Adam e Juliette eram amigos de infância e que ele também pode tocar nela sem se machucar, coisa que ela nunca tinha visto antes.

Juliette é levada para a seção 45 do Restabelecimento, a seção controlada por Warner, onde Warner quer integrar ela ao seu exército para que assim consigam vencer a guerra. Adam e Juliette acabam se aproximando mais ainda dentro da seção e Adam ciente das coisas que Warner planejava para Juliette, resolve ajudar ela a fujir.

Adam e Juliette fogem com a ajuda de seu amigo, Kenji, que também trabalhava como um dos soldados de Warner. Antes deles conseguirem escapar, Warner, toca o tornozelo de Juliette e eles descobrem que Warner também é imune ao poder de Juliette.

Adam, Juliette e Kenji encontram o irmão de Adam, James, na casa de Kenji e sabendo que lá é um lugar perigoso por conta de sua fuga, Kenji, resolve levá-los para um lugar que ele diz ser seguro, mas muitos perigos esperam por eles no meio do caminho.

Eu sou V-I-C-I-A-D-A em distopias e quando eu descobri sobre essa eu exitei um pouco para ler, não porque eu não tinha gostado da estória, mas pelo fato da personagem principal ter o mesmo nome que eu e isso me incomodava muito, mas graças aos Deuses eu desisti de não ler e acabei lendo e me apaixonando pela saga toda.

Estilhaça-me é um ótimo livro para o começo da saga e dá abertura para muitos acontecimentos que você nem espera que vai acontecer. Eu amo muito essa trilogia e a autora.

Fico feliz de anunciar, caso vocês ainda não saibam, que Estilhaça-me vai ser transformada em uma série, já foi anunciada mas sem data de lançamento, ainda.

JUSTIN BIEBER REVELA: “Purpose” é um álbum visual!

É TIRO ATRÁS DE TIRO!

  

Você achou que só Beyoncé poderia ter um álbum visual? Pelo visto Justin Bieber discorda e agora tornou “Purpose” em um álbum visual!

Justin convocou grupos de dança para criarem coreografias temáticas para todas as suas músicas novas. Conta com um pouco de tudo, que ele orgulhosamente chama de “Purpose: The Movement”. 

Como Justin estava afogado em criativas por seu comportamento nas últimas semanas, ninguém esperava algo do tipo, mas o vídeo de dança para a música “Sorry” era uma prévia do que estava por vir desse projeto a pondo de ganhar o VEVO Certified pelo sucesso do vídeo, passando a marca de 100 milhões de visualizações em 3 semanas! Uau!
Tudo isso é para promover “Purpose”, lançado nessa última sexta (13/11). Os vídeos também contabilizam streamings, que são levados em conta na formação das paradas internacionais atualmente. 

Vamos conferir todos:
Mark My Words

I’ll Show You

What Do You Mean?

Love Yourself

Company

No Pressure

No Sense

The Feeling

Life Is Worth

Where Are Ü Now (Diplo, Skrillex)

Children

Purpose

Sensacional essa proposta! 

E você? O que achou desse golpe surpresa?

Finalmente! Anitta lança versão de “Totalmente Demais”

  

Como muitos devem ter visto nos comerciais da nova novela das 7 na Globo, a cantora Anitta regravou a música “Totalmente Demais”, sucesso da banda de rock Hanói Hanói (1986) que já havia sido remixada e atualizada em 2006 pela cantora Perlla (que deixou saudade). 

Nesta versão da música, Anitta conta com a participação do cantor mineiro Flávio Renegado.
Dá uma ligada:
A cantora regravou a música a pedido da TV Globo para usá-la de tema dessa nova novela das 19h, “Totalmente Demais”. 

Onde também, como não é boba e nem nada, incluiu versão alternativa com Duduzinho, que entra como faixa bônus em seu disco “Bang”, disponível no iTunes. 

Review: A Colina Escarlate (Crimson Peak)

MV5BNTY2OTI5MjAyOV5BMl5BanBnXkFtZTgwNTkzMjQ0NDE@._V1_SX214_AL_Diretor: Guilhermo Del Toro

Ano: 2015

Tempo de Duração: 119 minutos

Gênero: Terror, romance gótico

“Fantasmas são reais. Disso eu sei. Eu os vi durante toda a minha vida…”

A colina escarlate por mais que seja categorizada como terror, é um romance gótico, e aqueles que dizem que é terror não sabem bem a o certo o que estão falando.

O  filme é uma clássica história de terror passada na era vitoriana  nos estados  unidos . Após a morte da sua mãe, Edith Cushing, interpretada por Mia Wasokowska, começou a ver fantasmas e eles sempre traziam mensagens para ela. Edith Cushing almeja ser uma escritora, mas não uma de romances comuns da época, uma autora de livros de terror como Mary Shelley, a primeira escritora que fugiu dos clássicos e escreveu Frankenstein.

Como era de se esperar, não era levado a sério por ninguém, e todas as editoras quando descobriam que ela era uma mulher não queriam mais assinar o contrato. Um certo dia, Thomas Sharpe, interpretado por Tom Hiddleston, chega na cidade e fica surpreso quando acidentalmente lê seu livro. Thomas Sharpe veio a cidade para conseguir um financiamento para a escavação da argila vermelha. O pai de Edith Cushing, Sr. Cushing, é um dos homens mais ricos da cidade e ele e seus amigos estavam procurando novas ideias para investir o dinheiro.

Edith decide não ir ao baile que seu pai e Dr. Alan McMichael estavam indo para ficar escrevendo em casa, bom, pelo menos ela achou que ficaria em casa escrevendo até que Thomas Sharpe aparece na sua casa para leva-la ao baile e dessa vez ela não poderia recusar.

 Após perder seu pai, Edith casou-se com Thomas e se mudou para a mansão que recebia o nome de colina escarlate por conta da argila vermelha que era encontrada nas colinas do terreno tingindo tudo de vermelho.

Como já era de se esperar, nada era como Edith esperava, e percebeu que tinha se metido na maior furada que ela poderia imaginar.

O filme foi um dos meus filmes favoritos do ano passado, eu sou simplesmente apaixonada por romance gótico pois não dão medo, são apenas levemente darks e as vezes perturbador e esse filme representa bastante isso. Se você for fã de filme de terror não assistam por esse motivo porque irão se decepcionar.

Resenha: Garotas de Vidro

Autor: Lauren Halse Andersondownload

Editora: Novo Conceito

Páginas: 272

Ano: 2012

ISBN: 9788581630113

Muitas pessoas acham esse livro péssimo, mas eu acho ele maravilhoso. O livro conta a história de Lia, uma garota que competia com a amiga dela Cassie para ver quem ficava mais magra e acaba desenvolvendo um distúrbio alimentar.

Ao contrário de sua amiga, Lia sobreviveu mas não conseguiu se livrar do distúrbio alimentar mesmo depois de tratamento hospitalar.

O livro tem uma narrativa doentia, como se você fosse o personagem principal e tudo aquilo tivesse acontecendo com você, mesmo você estando em plena consciência de si.

Quando Lia começa a ficar num estado crítico da doença, ela começa a escutar a amiga dela e até mesmo vê-la dependendo do nível.

O plot do livro é Lia tentando provar tanto para a mãe como para o pai que ela melhorou da anorexia e bulimia mas na verdade ela não melhorou, ela continua a mesma. Também conta com o mistério da morte de sua amiga e Lia tentando descobrir tudo que acontecerá com a amiga no dia de sua morte.

O livro retrata bem como é viver com distúrbios alimentares e sem romantizar, ele monstra a realidade e como isso é perigoso para a vida de todos, tanto como para a pessoa que tem o distúrbio como para que, vive ao redor da pessoa.

Fãs produzem curta para Dragon Ball Z, e ficou genial! Confira!

Não sei o que dizer sobre esse curta só sentir!

  

Todos os fãs (inclusive eu, rs) se decepcionaram com o live action do anime para os telões, não há o que discutir sobre isso. Mas graças aos deuses muitos ainda se inspiram com a obra de Akira Toryama, onde podemos ver super produções como a feita pela equipe da Black Smoke Films. 

A equipe fez um curta metragem em live action digno de atenção das grandes produtoras hollywoodianas, baseado em Dragon Ball Z, na batalha de Cell e dos andróides (mais especificamente). Chamado “Dragon Ball Z: The Fall of Men (Dragon Ball Z: A Queda dos Homens), a produção é de alta qualidade e depois de assisti-lo, você vai ver quão ruim foi o “DBZ Evolution” e querer continuação desse curta com pelo menos 3 filmes produzidos pela Black Smoke Films, rs.

“O mundo não é como deveria ser. Alguma coisa aconteceu no percurso.”

Confira o curta:

Confira alguns posters do curta:
   
   

Muito bom, né? Esperamos grandes coisas dessa equipe genial! 

Resenha: A Desconstrução de Mara Dyer (Mara Dyer #1)

Autor: Michelle Hodkin download

Editora: Galera Record

Páginas: 378

Ano: 2013

ISBN: 9788501098580

“Meu nome não é Mara Dyer, mas meu advogado disse que eu precisava escolher alguma coisa. Como pseudônimo. Um nome de plume, como nós, que estudamos para as provas de fim de ano, sabemos. Sei que ter um nome falso é estranho, mas confie em mim: é a coisa mais normal a respeito da minha vida no momento. Até mesmo contar tudo isso a você provavelmente não é sensato. Mas sem minha enorme boca, ninguém saberia que uma jovem de 17 anos que gosta de Death Cab for Cutie foi responsável pelos assassinatos. Ninguém saberia que em algum lugar por aí há uma aluna mediana com uma trilha de cadáveres nas costas. É importante que você saiba, para que não se torne o próximo.

O aniversário de Rachel foi o princípio. Isto é o que eu me lembro.

“Mara Dyer”

cidade de Nova York”

Se você acha que a coisa mais estranha que poderia acontecer com Mara Dyer é acordar num hospital sem saber o que aconteceu ou como foi parar lá, você está completamente errado. Mara não se sabe ao certo o que aconteceu com os seus amigos antes e nem como saiu sem nenhum arranhão do acidente.

Por conta do acidente que acontecera no prédio abandonado, os pais de mara acharam melhor eles se mudarem para Miami onde começariam uma vida nova sem nenhuma sombra do passado. Mal sabiam eles que as sombras os seguiriam até para Miami.

Mara entrara numa escola nova e como sempre o primeiro dia foi difícil, tanto para fazer amizade quanto para se adequar na nova escola, mas graças ao destino ela encontrou Jamie, provavelmente uma das pessoas mais engraçadas que já pisou nessa face da Terra. E claro que ela encontrou o Noah Shaw, o cara mais gato de toda escola.

Mara esconde um segredo muito grande de todos e Noah Shaw será o único que poderá ajudá-la.

Um livro viciante que você não consegue parar de ler enquanto você não devorou ele inteiro e está precisando do próximo.

Resenha: Billy e Eu

Autor: Giovanna FletcherBILLY_E_EU_1415411410B

Editora: Phorte Editora

Páginas: 368

Ano: 2014

ISBN: 9788576555254

Os romances britânicos têm características bem próprias e ‘Billy e Eu’ não seria tão diferente.

Sophie mora num pequeno vilarejo em Londres e por causa de um grande segredo que aconteceu no passado de sua vida que acabou fazendo ela não conseguir seguir em frente com a sua vida, acabando morando com a sua mãe e trabalhando numa casa de chá durante quase 8 anos.

Um dia, os produtores do remake de Orgulho e Preconceito começaram a filmar o filme na pequena vila e Sophie acabou conhecendo o ator que interpretaria o Mr. Darcy, Billy Buskin. Como já é de se esperar, eles acabam se apaixonando e Sophie encontra dificuldades para se enquadrar ao mundo cheio de dinheiro que ele oferece a ela.

Esse é o primeiro livro da Gi e posso dizer que ela fez um ótimo trabalho, mesmo sendo meio suspeita pra falar isso porque eu amo a Giovanna desde sempre e fiquei bem contente por ela e mais contente ainda com o livro.

A maioria dos romances britânicos que saíram nos últimos anos tem esse estilo de plot, onde uma menina simples, ou até mesmo uma fã acaba conhecendo o seu famoso favorito, e ele se apaixona por ela de volta. Eles sempre acabam dando um pouco de esperança para nós que somos fãs… principalmente quando você se identifica muito com o personagem principal como aconteceu comigo e a Sophie, somos bem parecidas com o mesmo gostos para tudo mesmo.

Resenha: Anjo Mecânico (As Peças Infernais #1)

Autor: Cassandra Clareanjo-mecanico

Editora:  Galera Record

Página: 392

Ano de Lançamento: 2012

ISBN: 9788501092687

Anjo mecânico é o primeiro livro da segunda saga publicada por Cassandra Clare, As Peças Infernais. Ao contrário dos Instrumentos Mortais, As Peças Infernais ocorrem em Londres na era vitoriana, sendo a primeira na ordem cronológica das Crônicas dos Shadowhunters.

O livro conta a estória de Tessa Gray, uma órfã de Noca Iorque que vai para Londres morar com o seu irmão. Quando chega em Londres, Tessa é raptada pelas Irmãs Dark que a forçam a usar o seu poder que até então era desconhecido, o poder de transformação. Com ele, Tessa consegue se transformar em qualquer pessoa desde que ela tenha um vinculo com ela.

Tessa é mantida dentro da casa das Irmãs Dark por seis semanas até que Will Herondale, que estava responsável por investigar o caso das Irmãs Dark, chegou na casa e resolver que iria ajudar Tessa. Uma das Irmãs nocauteia Tessa que só vem acordar quando chega no Instituto de Londres.

Quando Tessa acorda novamente, ela está sendo estudada pelo Irmão Enoch, um dos Imãos do Silencio. Ele diz que Tessa é ou uma criatura do submundo, ou uma feiticeira ou um Eidolon (são um tipo de demônio que podem trocar de forma assim como Tessa) mas não tem tanta certeza pois Tessa não tem as devidas marcas. Tessa também é apresentada para Charlotte Branwell, a coordenadora do instituto, ao seu marido Henry e a Jessamine Lovelace, uma das outras shadowhunters que moravam no instituto.

Durante o jantar, os shadowhunters do intituto tentam explicar para Tessa o que ela é e o que são os shadowhunters e todos os mistérios que são escondidos para os mundanos. Eles aceitam a ajudar Tessa a encontrar o irmão, Nate, e ela demonstra para eles o que é capaz de fazer se transformando em Jessamine.

Will faz questão de mostrar todo o Instituto para ela e apresentando os outros membros do instituto, Thomas, Agatha e Sophie, que são mundanos mas se não fosse pelos shadowhunters eles não estariam aqui e por isso resolveram os ajudar no instituto.

Charlotte e Henry decidem falar Axel Mortmain, o empregador de Nate. Mortmain é conhecido por ter trados com o pessoal do sub-mundo e disse que Nate estava muito interessado no caso do Clube Pandemonio, o clube das Irmãs Darks. Ele diz que o comandante do clube se chama de “O Magistrado” que Mortmain diz ser De Quincey, o líder do clã dos vampiros de Londres.

Enquanto tudo isso acontecia, Will e Jem voltaram para a casa onde acharam e Tessa e encontraram uma “garota”, Miranda, um automato que fora criado pelo Magistardo. Jessamine e Tessa foram andar no parque quando foram atacadas por goblim mas graças a Jess, as duas ficaram a salvo.

Camille Belcourt, uma vampira, vem ao instituto para informar que De Quincey tem dado festas onde ele tortura e mata humanos que vai totalmente o que foi estabelecido pela Clave. Antes de atacar De Quincey, os shadowhunters tem que pegar ele quebrando os acordos estabelecidos om a Clave, Camille também disse que Nate possa estar com ele.

Então, a única solução encontrada foi Tessa ir a festa como se fosse Camille e Will seu humano subjugado e ela também diz que seu amante, Magnus Bane, estará lá para ajudá-los. Após definir isso, o Enclave se reúne na biblioteca para discutir os detalhes do plano caso precisem invadir a festa.

Quando chegam na festa, Magnus informa Will e Tessa sobre um exército de criaturas mecânicas e demoníacas e que para o plano dê certo, é preciso da participação dos vampiros nisso.  Quando De Quincey aparece, o humano que Camille se referia era o irmão de Tessa, Nate. Will convoca o enclave para lutar contra os vampiros e resgatar Nate.

Nate está agora no instituto de Londres e para celebrar Jem leva Tessa para seu lugar favorito, quando eles são atacados por autômatos e os autômatos coletam um pouco de sangue do Jem.

Depois do ocorrido e de voltarem para o instituto, Jem explica a Tessa o que acontecera com ele quando ele era apenas uma criança na China, como perdera os pais e  como agora ele precisa de sangue de demônio para poder sobreviver.

Poucas pessoas sabem mas para abrir a porta de um instituto, é preciso ter sangue de shadowhunter ou uma vontade enorme para falar com os shadowhunters… E o que menos esperava acontecera, os autômatos conseguiram abrir a porta do instituto graças ao sangue de Jem e decidiram atacar.

Acho que já tá bom de spoilers e se vocês quiserem saber o final terão de ler.

Clare é uma escritora incrível que consegue fazer com que você se sinta dentro do livro com tantos detalhes descritos. Seus personagens tem uma magia que não tem como não gostar de algum deles, mesmo que você odeie eles um pouco no começo, eles conseguem comover o seu coração.

Se vocês quiserem e quem tiver interessado, é claro, eu posso postar a ficha de todos os personagens tanto das Peças Infernais como dos Instrumentos Mortais e até das duas outras sagas que estão por vir. Então, qualquer coisa comenta porque será um prazer postar tudo isso para vocês

PHOTOSHOOT: Katy Perry na H&M Holiday Campaign 2015! 

Abram alas pois a mulher que mais faturou no mundo da música nesse ano vai passar! 😝

Katy Perry destruindo por onde passar, desde a Prismastic Tour que rodou o Globo ela não parou. Agora ela está com a H&M na Holiday Campaign 2015 posando com classe digna de natal!

Confira:

   
    
     

Rainha demais, né mores?

Imagens por H&M

REVIEW: “TAXIDERMY” por Sharon Needles

TAXIDERMY

  


Label:
Sidecar Records & Producer Entertainment Group

Advisory:
Explícito

Lançamento:
31/10/2015

Copyright:
2015 Sidecar Records & Producer Entertainment Group Total

Duração:
38 minutos

Gênero:
Dance

Ranks:
#869

Classificação: ★★★★☆ (4.5/5 estrelas)

HAIL SHARON NEEDLES! RAINHA DO HALLOWEEN!

   Além de ser conhecida como vencedora da quarta temporada de RuPaul’s Drag Race, onde Sharon Needles compartilhou sua paixão pela arte e individualismo no palco principal, provando para os fãs da série que ela valia mais do que 15 minutos atribuídos a uma estrela do famoso reality. A nova atenção encontrada deu Needles a chance de hospedar seu próprio show de horror na LOGO, se tornar o rosto para a PETA e lançar seu primeiro álbum em 2013.
Para PG-13, Sharon deu seu público o que eles queriam, mostrando seu punk-rock e raízes de love horror na coletânea de faixas. Apta para tocar uma festa no necrotério local, ou a pista de dança mais próxima, gemas pop espumantes, como “Call Me On the Ouija Board” e “I Wish I Was Amanda Lepore” foram envolventes e autênticas, enquanto “Everyday Is Halloween” e “Why Do You Think You Are Nuts?” soam de forma mais dramática, vindo diretamente do coração de uma pessoa auto-proclamada estranha.

   Quase três anos mais tarde, Needles cresceu, tornando-se um “muito mais precário adulto e não confiável”, onde a maturidade fica evidente no conteúdo lírico de seu segundo álbum “Taxidermy”. Em vez de inspirações de metal e punk, as guias das faixas contam como anfitrião algo mais comercial, EDM, mainstream pop, tornando a nova versão mais polida e coesa do que seu álbum de estréia.

   Tendo como carro-chefe o single “Dracula” e lançado no Dia das Bruxas, é a trilha sonora perfeita para as almas mortas que vagam pela terra… e na boate mais próxima.

   O álbum começa com o single, que muitos fãs já tiveram acesso antecipado pelas performances live da cantora, “Dracula” que é uma canção de amor sádico inspirado por um dos vampiros mais reconhecidos por sempre voltar dos mortos. Com uma batida de apoio inspired-wave dos anos 80, performance vocal profundo e hipnótico, Sharon ‘sedutoramente soletra o nome de seu mestre. Com uma subjacentes influenciadas pelo hard rock, e um gancho catchy, é uma provocação forte e apropriado para o que vem a seguir.

   “Dandelion Dead”, onde Sharon diz ser sua faixa favorita do álbum, mostra, um lado humano vulnerável, um lado que normalmente não é exposto. Como ela questiona Deus e atira de volta seu licor favorito, uma performance vocal delicada e reflexiva tornam-se o momento brilhante da balada emocional. “Você diz que você não vai sair, juntos, morrer sozinho, o amor é uma piada de mau gosto”, ela canta com o estilo in the dark ainda inspirações cativantes se juntam para formar uma imagem sombria do verdadeiro amor.
Uma mistura satisfatória da drag persona e a música motiva Sharon, o que ocorre na faixa-título infeccioso, uma produção synth-pesado, onde uma idéia diferente de perfeição é exibida. Enquanto o compositor beira o criminalmente insano, “Taxidermy” é uma representação inteligente de como o artista vê a beleza em sua própria mente perturbada. Não são apenas as referências sombrias e divertidas, mas Sharon tem encontrado uma maneira bem sucedida para superar suas inspirações exageradas com batidas radio-friendly. The Death Becomes Herbé apenas a cereja no topo.

 
Sharon soa deprimida e mal-humorada da forma que ela luta com os ideais da famosa sobre “Hollywoodn’t”, uma balada eletrônica que consegue graças a uma outra performance vocal sem senso de humor e de composição narrativa sólida. “Há uma razão pela qual, tantos sonhos morreram, em uma colina íngreme, por um sinal iluminado”, a artista canta em linha de abertura da faixa, abrindo caminho para uma releitura dos dramas, mágoas e desilusões que vêm com a tentativa de gravar seu nome na Calçada da Fama.
Depois de já estar coberta com sucesso Ministério de “Everyday Is Halloween” para PG-13, Needles agora dá o hit dançante de 1977 com referências de Cerrone, “Supernature”, de sua própria produção. Enquanto uma verdadeira cobertura fiel ao clássico disco, o artista lança as influências subjacentes originais para melhor refletir sua personalidade assustadora, EDM-loving, bem como o corte da faixa de 10 minutos para um comprimento de 4 minutos mais forte que o normal. A faixa pode ter sido lançado há 40 anos, mas certamente pertencia a Needles em uma vida passada.
Na faixa “Lucy”, a artista canta sobre querer ser usado em uma relação doentia. Needles interpreta o personagem do enlouquecido, amante obcecado dando um aviso para seu homem a nunca sair do seu lado. A faixa é transportada por uma performance vocal convincente e uma premissa intrigante, no entanto, é a produção orientada para o piano eletrônico que rouba o show desta vez. O cintilante, as batidas mexem e prendem a atenção do ouvinte à medida que se orienta através da história de um amor instável.

 

“Wendigo” encarna o sem remorso, um tanto grotesco, estética de Sharon que estava faltando a partir das faixas anteriores. Construída em torno do mito de um canibal meio besta meio humano com fome de carne, as batidas, faixa electro-pop mostra Needles na caça, devorando seus inimigos com uma performance vocal feroz explícita e um coro que deixa pouco à imaginação. Embora um pouco repetitivo, a vibe dark que se sente como um ajuste perfeito para o artista e sacia sua sede de sangue.
Como um candidato perfeito para um futuro, single “Glow in the Dark!”, Needles rompe barreiras mais para o território pop mainstream, onde ela estava oscilando em seu último álbum. Com nostálgico, letras inspiradoras e um batimento eufórico, espumante, é uma forte evidência de que a artista está encontrando seu caminho para rádio pop um dia. “O momento não estava certo, mas quando as estrelas alinhadas, pela primeira vez eu senti como se tudo ficaria bem”, a artista canta sobre o pré-hook induzida por amor antes do pulsante, refrão energético bastante pulsante.
Infelizmente, se o álbum teve um passo em falso, então seria “Scream”. Para uma canção que realmente engloba o amor pelo Halloween, natureza da artista, mesmo incorporando uma referência Michael Myers, o produto acabado não faz muito para o álbum ou Sharon. Clocking em menos de três minutos, cheio de um gancho repetitivo e underwhelming, a faixa parece um último minuto, se subdesenvolvido. O sinistro, a vibração pessimista pode ser apreciada, e, pelo menos, nos finalmentes Sharon chega com sua risada característica. Isso é algo, certo?

 
A composição reveladora de “The Damned” dá o estilo de metro da pista um toque pessoal como Sharon canta sobre sua vida seguindo-a cantar no prazo Drag Race, e as inúmeras vezes que ela recebeu críticas por seu comportamento ultrajante. “Pontes são difíceis de construir e fácil de queimar, folgas fogo à vontade, e agora é a nossa vez”, ela canta embora admitindo que sempre perder o jogo de tentar entreter e não ofender. A produção dubstep apoio é intrigante, certificando-se de ouvintes ficar por aqui para o passeio.
O álbum fecha com a “Whammy”, uma confissão do brilho de uma ânsia por dinheiro e poder. Embora o uso de um game show clássico para a idéia inicial é inteligente e louvável, e o uso de EDM e avarias dubstep sugere Sharon em seus futuros projetos, pela primeira vez no álbum, é a composição que pesa o esforço. A canção é uma experiência divertida, um caminho que o artista ainda não tinha seguido ainda, mas para uma faixa de encerramento, pode deixar um gosto amargo na boca dos ouvintes. Algo com sabor de “quero mais”.
“Taxidermy” pode ser facilmente considerada uma melhoria do seu antecessor over-the-top, mas também apresenta crescimento artístico de Sharon Needles, uma concorrente do reality show que lança imensa paixão e convicção em sua forma demoníaca de arte. Essa paixão é evidente uma segunda vez como a artista apresenta seu conceito com um temas relacionáveis na composição de 11 faixas, cheia até a borda com batidas envolventes, infecciosas desde o gênero pop até o rock, EDM e dubstep. Sharon pode não ser o mais vocalmente talentoso competidor Drag Race para mergulhar no universo da música, mas ela usa e abusa desse lado andrógino para trazer suas inspirações para a vida. Sharon soa confiante e em sua zona de conforto. O artista está à procura de almas para trazer de volta com ela para o submundo, começando com o aqueles que ela tem de mais precioso ao seu coração negro.

Faixas must-listen: “Drácula”, “Dandelion Dead”, “Taxidermy”, “Hollywoodn’t” e “Glow in the Dark!”.

https://playlists.applemusic.com/embed/pl.17ccc15aaf2c41b59e47712fe74393a3

TRAILER: “Procurando Dory” tem seu primeiro trailer divulgado!

   

Confira o trailer de Procurando Dory:

A animação vai mostrar a simpática peixinha Dory vivendo feliz com sua nova família, até que um evento traumático faz com que ela saia em busca de seus inúmeros parentes. Marlin e Nemo não ficam de fora dessa aventura, os dois vão atrás de Dory com uma baleia beluga chamada Bailey. 
“Procurando Dory” tem data provista para estreia 30 de junho de 2015.

E aí? Ansiosos? 

Rita Ora foi desafiada e faz cover de Hello, de Adele, e não saiu da forma que esperávamos… 

  

Para divulgar sua nova música em parceria com Sigma, “Coming Home”, a britânica Rita Ora foi à rádio Capital FM e foi desafiada a cantar “Hello” da Adele. A locutora só não imaginava a forma que ela ouviria a música. Pois bem, Rita aceitou o desafio, mas acabou que foi inventando um idioma próprio – seja por não dominar a letra ou algo do tipo. 

E saiu assim:

Clique e confira

A atual jurada do “The X Factor UK”, deixando o “The Voice UK”, acabou que adiou o lançamento de seu álbum novo para 2016. 
  

Ela disse em entrevista “Eu estava esperando que ele [o álbum] saísse ainda este ano, mas a realidade é que não vai. Fisicamente eu não teria como conquistar o sucesso que eu quero com meus candidatos do ‘X-Factor’ e o disco então eu vou fazer uma coisa de cada vez”.

Então tudo bem Rita, está perdoada, mas queremos ver um bom trabalho vindo dos dois lados, viu?

BANG! Aprenda a coreografia do novo sucesso de Anitta, com ela própria!

“Bang” virou um estouro na carreira de Anitta, quebrando recordes de visualizações, explodindo em vendas, impulsionando a carreira da cantora e garantindo seu lugar nos charts, inclusive sendo a primeira brasileira a ganhar a categoria de Melhor Artista da América Latina no EMA! Isso tudo e muito mais.

  

Anitta não vem parando e não vai ser agora que vai parar! Confira agora o vídeo onde a poderosa ensina a coreografia de seu novo sucesso “Bang”!

Com 1 mês, “Bang” atingiu a marca de 22,9 milhões de visualizações do YouTube.

Já aprendeu pra fazer com as amigas na boate? 

“Only You”, novo dueto natalino de Kylie Minogue com James Corden, confira!

 

Kylie “mozona” Minogue disponibilizou uma das faixas gravadas que compõe seu álbum natalino chamado “Kylie Christmas”. A canção é um dueto com o apresentador de talk show James Corden e se chama “Only You”, confira:

As fontes dizem que essa faixa começou como uma brincadeira entre os dois, mas a gravadora gostou cantando que decidiu inseri-la no álbum! Uma brincadeira sensacional essa 😉

  

O “Kylie Christmas” será lançado na próxima sexta (13/11), e tem também participações de Iggy Pop, Dannii Minogue e até uma póstuma do Frank Sinatra!

Mal podemos esperar!

Resenha: Espíritos de Gelo (Mitos Urbanos #2)

Autor: Raphael Draccon110195064_1GG

Editora: LeYa

Páginas: 172

Ano de Lançamento: 2011

ISBN: 9789895579013

Normalmente eu não gosto de autores brasileiros, mas não tem um motivo certo, só algo pessoal mesmo, mas eu não consigo não gostar do Raphael Draccon.

Todos devem conhecer ele por causa da trilogia ‘Dragões de Éter’, se você não conhece não sabe o que está perdendo. Raphael Draccon é provavelmente um dos melhores escritores dessa década e cada vez ele aparece com livros mais viciantes.

Espíritos de gelo pertence a uma saga que o Raphael foi convidado para escrever um livro e provavelmente um dos livros que eu mais gosto. Não tem muito o que falar sem soltar spoiler e seria péssimo eu soltar um spoiler desse livro porque acabaria estragando toda a estória pra vocês.

Nesse livro, tudo que parece ser não é e tudo que não parece é. Eu sei, parece confuso e realmente é, mas é um livro tão viciante que você não consegue parar de ler enquanto você não o terminar e isso é bom por ser um livro pequeno você consegue terminar ele bem rápido.

Eu tive a chance de conhecer o Raphael uns meses atrás num encontro que ele fez aqui na minha cidade e eu fiquei impressionada com todas as ideias que ele teve por trás desse livro e de todos os outros, eu comecei a olhar esse livro de uma outra forma. Eu super recomendo esse livro para vocês mesmo falando quase nada dele para não estragar tudo.

Selena desabafa: “Então percebi que tinha que fazer por mim mesma”

 
Em entrevista à rádio 106.1 Bli, Selena Gomez fala sobre o álbum “Revival” (caso não tenha notado, ela tem priorizado as rádios nessa etapa de divulgação) e acabou fazendo um desabafo sincero. “Teve tanta gente querendo que eu falhasse”, disse a cantora. “Houve momentos em que eu estava muito cansada, não sabia o que dizer, as pessoas não estavam gostando do que estava saindo, e então eu percebi que tinha que fazer isso por mim mesma”.  

 Na mesma época da produção do disco, ela teve que lidar com críticas maldosas com relação às suas fotos de biquíni no México, o que refletiu no processo criativo. “A cada sessão que eu ia no estúdio, falava: ‘aqui é onde estou, o que eu quero, o que eu preciso e como eu quero que seja feito, como vou falar isso, do que vou falar…”, lembra.

E acaba que o resultado do álbum foi melhor que o esperado: um nº1 na Billboard 200 e dois singles bem sucedidos – “Good For You” e “Same Old Love”. Para ela, significa aprovação de suas intuições. 

Selena, neste álbum, trabalhou como produtora executiva pela primeira vez. “Eu tive que começar do começo, eu me mudei da minha casa, transitei para uma nova gravadora, novos agentes, é tudo muito novo para mim mas ao mesmo tempo eu venho fazendo isso há tanto tempo que eu estava tipo ‘eu sabia o que eu não faria e o que eu faria’”, conta.

Selena sambou, quando muitos não deram folga, ela se manteve forte e conquistou com honra seu lugar ao sol. #TeamSelena

19 feitos da carreira de Lorde, a aniversariante do dia!

  

Ella Marija Lani Yelich-O’Connor – ou simplesmente Lorde – completa 19 anos hoje. Mesmo tendo lançado apenas um disco, Pure Heroine (2013), a meteórica neozelandesa é uma das cantoras mais queridas de público e crítica na atualidade.

Com proposta minimalista, batidas secas e letra “anti-ostentação”, “Royals”, seu primeiro hit, já pode ser considerado um marco na história recente da música pop. Além de dominar o topo das paradas por um bom tempo, a canção produzida por Joel Little foi muito premiada e recebeu diversos elogios de grandes nomes da música. A estética bastante original está presente nos outros êxitos do disco: “Glory And Gore”, “Tennis Court” e “Team”.

Para celebrar os 19 anos da pequena notável, Billboard Brasil listou 19 motivos que demonstram que Lorde, apesar de jovem, já tem currículo, admiradores e maturidade de fazer inveja a qualquer veterano.

1) Com apenas 13 anos, a jovem já assinava seu primeiro grande contrato. A gravadora Universal descobriu Lorde a partir de um vídeo de uma cover de “Warwick Avenue”, de Duffy.

2) “Royals” chegou ao topo do Hot 100 em 2013 e lá ficou por nada menos que nove semanas consecutivas. Além de ter sido a primeira artista neozelandesa da história a encabeçar o ranking, Lorde foi a mais jovem a chegar ao topo desde Tiffany, em 1987. Ambas tinham 16 anos.

3) O single arrasa-quarteirão de Pure Heroine também agradou à crítica e levou os prêmios de Canção do Ano e Melhor Performance Pop Solo no último Grammy.

4) “Royals” foi a primeira música de uma artista feminina a chegar ao topo da parada alternativa da Billboard em 19 anos. A última vez havia sido com “Mother Mother”, de Tracy Bonham, em 1996… Ano em que Lorde nasceu!

5) A canção cativou ninguém menos do que Bruce Springsteen. O Boss cantou “Royals” em dois shows em Auckland, Nova Zelândia, no início do ano passado. Lorde foi às lágrimas quando soube.

6) Outro grande nome da música não resistiu à “Royals”: Krist Novoselic, antigo baixista do Nirvana, tocou o hit no acordeom em um show em março de 2014.

7) Lorde cantou com os integrantes remanescentes do Nirvana no evento de introdução do grupo ao Rock N’ Roll Hall Of Fame. A cantora apresentou “All Apologies” ao lado de Dave Grohl, Krist Novoselic e Pat Smear, em abril de 2014.

8) Dave Grohl disse que se sentiu aliviado pela música pop ao ouvir “Royals” nas rádios. “Há alguma coisa nela que se assemelha à estética do Nirvana.”

9) David Bowie disse a Lorde que escutar suas músicas é como “escutar o amanhã”. E sobre futuro e inovação, o velho Bowie conhece.

10) Após Lorde dizer que Kanye West é o “papa de sua igreja” e ser elogiada pelo controverso e talentoso rapper – nos bastidores do programa de Jools Holland –, rumores quentíssimos dizem que ambos trabalharão juntos no ano que vem.

11) Com apenas 17 anos, Lorde foi convocada para comandar a trilha sonora do novo filme da franquia Jogos Vorazes. A cantora fez uma espécie de curadoria musical no longa, que estreou no ano passado.

12) Mesmo sem ser headliner e se apresentando de maneira intimista, Lorde “entupiu” um dos palcos do Lollapalooza paulista em abril de 2014. A cantora ainda não estava habituada a tocar para multidões, mas se saiu muito bem.

13) Elton John disse que, ao ouvir Lorde, ficou boquiaberto. “Isso faz você querer escrever a melhor canção do mundo, pois não consegue acreditar que essa música veio de alguém tão jovem e tão brilhante”.

14) John Mayer disse adorar Lorde e que espera que ela não seja um fenômeno passageiro. “Que ela tenha a oportunidade de crescer como artista, não apenas uma máquina que vai da pobreza à riqueza e depois desaparece. Ela é boa demais para isso.”

15) Lorde nunca teve muitas papas na língua e sempre demonstrou senso crítico: rejeitou uma parceria com David Guetta por considera-lo “muito grosseiro” e disse que as músicas de Nicki Minaj, Drake e Lana Del Rey são um tanto “irrelevantes” por falarem de uma abundância que pouquíssimas pessoas vivenciam. Já a hoje amiga Taylor Swift ela considera um ótimo exemplo para jovens do mundo todo.

16) Por dois anos consecutivos, Lorde entrou para a lista da revista Time de jovens mais influentes do mundo.

17) “Tennis Court” foi tocada durante a final feminina de Wimbledon, em 2013, um dos campeonatos de tênis mais importantes do mundo.

18) Lorde foi zoada em uma série de episódios do desenho South Park e demonstrou bom humor ao fazer “uma imitação da sua imitação” numa entrevista. O vídeo viralizou.

19) No início deste ano, a neozelandesa, então com 18 anos, concorreu ao Globo de Ouro de Melhor Canção Original por “Yellow Flicker Beat”, de Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1. Lorde disputou a categoria com a dupla vencedora John Legend e Common (“Glory”, de Selma), Lana Del Rey (“Big Eyes”, de Grandes Olhos), Patty Smith e Lenny Kaye (“Mercy Is”, de Noé) e Greg Kurstin, Sia e Will Gluck (“Opportunity”, de Annie).

Reprodução: Billboard

Poderosíssima!

Lana Del Rey regrava “Some Things Last A Long Time”, de Daniel Johnson, para documentário sobre o cantor

 
Você conhece o cantor (e muito bom compositor) Daniel Johnson? Então agora você poderá ouvir um de seus sucessos na voz de Lana Del Rey. A cantora regravou “Some Things Last A Long Time” para um documentário sobre o artista, ainda não lançado.

Confira uma prévia no trailer do documentário “Hi How Are You Daniel Johnston”, pois a faixa na íntegra só estará disponível a partir do dia 11 de novembro, quando o projeto for lançado na internet.

  

Para quem não sabe, Lana Del Rey participou ativamente do projeto. A cantora foi uma das muitas colaboradoras financeiras do documentário que só saiu após uma ação de crowdfunding.

Nascido nos Estados Unidos na década de 1960, Daniel Johnson ficou conhecido entre artistas alternativos e lançou mais de 20 álbuns e coletâneas. Ouça abaixo a versão original de “Some Things Last A Long Time”:

Justin Bieber divulga trecho de música inédita em novo vídeo, confira!

TCHAM NAM NAM NAM!

  Justin Bieber, em seu Twitter oficial, divulga uma espécie de “TV AD” para seu novo álbum, “Purpose” (com lançamento agendado para a próxima sexta-feira, dia 13/11) e conta com um trecho de uma música inédita. 

No vídeo, ele aparece em um uma trilha com três modelos loiras e se senta para tocar piano no meio do nada. Assista:

Outra música divulgada recentemente foi “I’ll Show You”, bem recebida pelo público. Ela foi liberada como parte da pré-venda virtual do disco.

Acho que o álbum do ex-baby baby vai ser um estouro! 

Resenha: Anna Dressed in Blood (Anna Dressd in Blood #1)

Autor: Kendare BlakeANNA_DRESSED_IN_BLOOD_1294335870B

Editora: Tor Books

Páginas: 320

Ano de Lançamento: 2011

ISBN: 9780765328656

Esse é provavelmente um dos meus livros favoritos sobre fantasma e é um pecado que ele ainda não tenha sido traduzido. Mas para quem não se importa de ler em inglês acho que é uma leitura super válida.

Normalmente pessoas que têm mortes traumáticas, violentas e etc, quando morrem o espírito tem problemas de deixar o mundo físico para o plano espiritual e são assim que nascem os espíritos vingativos e graça a eles, Cas pode continuar o legado da família.

Cas é um caçador de fantasmas desde que ele herdou a faca de seu pai aos 14 anos. Seu pai foi morto por um fantasma e desde então ele viaja pelos Estados Unidos inteiro com sua mãe, que podemos considerar ela como uma bruxa, e o gato de sua mãe em busca de fantasmas.

Quando eles chegam numa cidade nova, há uma série de assassinatos que não podem ser explicados, bom, podem e a explicação é a Anna Dressed in Blood (a.k.a Anna vestida em Sangue) e Cas sabe exatamente o motivo dele ter ido parar naquela cidade.

Cas não esperava nada de diferente do convencional, se mudar para a nova cidade, caçar e matar o fantasma mas o que ele acaba encontrando na verdade é um fantasma enrolada em algumas maldições e raiva.

Anna matou todos aqueles que entraram na casa, ela usa o mesmo vestido ensanguentado desde que foi brutalmente assassinada em 1958 mas com cas foi diferente, Anna não quis matá-lo.

Cas começa a tentar entender o que aconteceu com Anna e porque ela está presa a casa. Quanto mais Cas descobre, mais ele se apaixona por Anna, eu sei que parece estranho um humano se apaixonar por um fantasma e um fantasma se apaixonar por um humano e eles também sabem, mas mesmo assim o livro consegue ser incrível.

Para quem quiser ler, a leitura em inglês não é difícil, é bem fácil e rápido e não demanda de um vasto conhecimento em inglês.

Observações gerais:

  • Foi anunciado que a Stephanie Meyer irá produzir o filme para “Anna Dressed in Blood”.

Resenha: Mentes Sombrias (The Darkest Minds #1)

Autor: Alexandra Brackenmentes sombrias

Editora: iD

Páginas: 576

Ano de Lançamento: 2013

ISBN: 9788516085759

[SPOILER ALERT]

A primeira coisa que eu sempre falo quando eu vou recomendar esse livro é ” é a perfeita junção de nazismo, x-men e distopia”. Parece péssimo mas é um livro meio que incrível.

Eu sou meio que fissurada em distopias e é difícil eu não achar um distopia que eu não goste, mas essa eu realmente amo.

Os Estados Unidos foi infestado por uma praga chamada Idiopathic Adolescent Acute Neurodegeneration, ou IAAN (eu não sei o nome dela em português, desculpem-me). Essa praga matou quase 98% dos pré-adolescentes dos Estados Unidos. As crianças que sobreviveram foram chamadas de psi por terem desenvolvidos habilidades psíquicas. Os que foram imunes apresentaram poderes que foram classificados de 5 formas: vermelho: fogo, laranja: mente,  amarelo: eletricidade, azul: telecinesia e verde: inteligencia. 

Ruby, uma das poucas sobreviventes, tinha 10 anos quando foi levada para um dos “campos de reabilitação”, o Thurmond. Ela passou 6 anos presa dentro do Thurmond como uma verde, até dia que descobriram o seu segredo e que era uma das mais poderosas.

Por sua sorte, a enfermeira que descobriu participada de um grupo de rebeldes que se chamavam The Children’s League (não sei o nome em português também, desculpaaaa). Eles retiravam as crianças dos centros de reabilitação para que elas pudessem sobreviver e até mesmo se rebelar contra o governo.

Quando Ruby e mais outro garoto, escapam do campo com a “enfermeira”, Ruby consegue entrar na sua cabeça e perceber que ela não ia fazer o que ela realmente tinha prometido, então Ruby resolve fugir.

Quando Ruby está tentando fugir, ela encontra com um grupo de adolescentes que também tinham fugido de seus campos de habilitação. O grupo era formado por Liam Stewart também conhecido como Lee, Charles Carrington Meriwether IV mas todo mundo o chama de Chubs (provavelmente não é assim em portugues) e a Suzume ou Zu.

Lee é um azul e provavelmente um dos mais poderosos, todos estão atrás dele depois do incidente que aconteceu no campo dele. Lee fez uma das maiores saídas que provavelmente todos os seguranças já tinham visto para fugir arrastando Chubs e Zu junto com ele. Chubs é filho de médicos e foi para o mesmo campo que Lee, ele também é um azul e Zu é uma amarela, ninguém sabe muito sobre ela porque ela não fala muito.

Quando Zu encontra Ruby, ela e Lee resolvem trazer ela para vã e se juntar junto com o grupo enquanto Chubs queria jogar ela para fora da janela. Depois de muita insistencia, Chubs aceitou que Ruby ficasse.

Eles passaram maior tempo dentro na vã do Liam a Black Betty procurando um acampamento que é “seguro” para todos os adolescentes psi. Após dias esperando, eles conseguiram achar a frequência de rádio que os levaria até o acampamento.

Chegando no acampamento East River, parecia que eles tinham entrado em um outro campo de reabilitação, só que dessa vez não tinha guardas e só adolescentes. Cada um era responsável por uma coisa. O acampamento era controlado por Clancy, filho do presidente.

Clancy, assim como Ruby, é um laranja. Como ruby nunca tinha encontrado um laranja como ela, Clancy se voluntariou a ensinar Ruby tudo que ele sabia e como controlar o poder para ela não ficar mais como medo dos seus poderes.

Depois de uma tremenda confusão no acampamento, Ruby, Lee, Chubs e Zu vão para o The Children’s League onde sua aventura está prestes a começar novamente.

Esse livro acaba sendo bem pesado por conta de todos os detalhes e personagens que aparecem nele, mas é tão viciante que você não consegue piscar por nenhum segundo. Não vejo muitas pessoas comentando dele e normalmente também não encontro em livrarias, mas se vocês tiverem oportunidade, LEIAM porque não tem como vocês não gostarem do Lee nem do Chubs.

Nos Estados Unidos os três livros da trilogia já foram lançados, mas aqui nem o segundo volume foi publicado, não sei porquê mas acho que a editora deveria tentar porque muitas pessoas que gostaram da história não tem uma continuação e só melhora com o decorrer dos livros.

A Head Full Of Dreams: O álbum final de Coldplay contará com Beyoncé, Tove Lo e muitos mais.

Em dezembro passado, Chris Martin do Coldplay disse que a banda estava trabalhando em seu álbum “final”, A Head Full Of Dreams. Quase um ano depois, eles anunciaram que o álbum será lançado 04 de dezembro via Parlophone. É chamado de A Head Full Of Dreams, e dispõe de vários convidados, incluindo Beyoncé, Noel Gallagher, Tove Lo, e Merry Clayton. Abaixo, ouvir o primeiro single, “Adventure of a Lifetime”, confira a a arte e a tracklist:

  
A Head Full of Dreams:

  1. A Head Full Of Dreams
  2. Birds
  3. Hymn For The Weekend
  4. Everglow
  5. Adventure Of A Lifetime
  6. Fun
  7. Kaleidoscope
  8. Army Of One
  9. Amazing Day
  10. Colour Spectrum
  11. Up&Up

Em entrevista do ano passado com Zane Lowe, Martin comparou o álbum de seu sétimo para “o último livro de Harry Potter ou algo assim”, dizendo que é “a conclusão de alguma coisa.” Ele explicou: “Eu tenho que pensar nisso como a última coisa que estamos fazendo. Caso contrário, não iria colocar tudo nele.”

Coldplay gravou o álbum em Malibu, Los Angeles e Londres, com produtores Stargate e Rik Simpson.

ATUALIZAÇÃO (11:25): 

Esta manhã, Coldplay apareceu na BBC Radio 1, onde se improvisou três músicas de algumas mensagens de texto muito chatas enviados para a estação. Assista que abaixo.

Em 13 de novembro, eles também transmitirão as primeiras performances de algumas das canções do álbum através do TIDAL. Não haverá um paywall sobre isso (graças a Deus).

Blog no WordPress.com.

Acima ↑